Quinta-feira, 6 de Março de 2008

Acordo Ortográfico (É favor ler este post com sotaque brasileiro)

Oi galera, tudo bem?

É isso aí, pessoal! Estamos escrevendo, desde já, com o novo acordo ortografico, né?

É muito bom, mesmo! Quero parabenizar as pessoas que tiveram a brilhante idéia de acertar este novo acordo ortografico, melhorando aquele feito em 1991, certo?

Assim, a lingua portuguesa brasileira, passará a estar muito mais prôxima dos paizes que falam esta mesma lingua.

Considero otima a ideia de acertar coisas inuteis como letras mudas, acentos, hifens, palavras e verbos compostos, pois tudo isso é uma droga, né?

Aí galera, vamos colocar o pessoal das favelas a falar o mesmo portugues que nos falamos, o portugues acadêmico, né?

Aqui fica o batismo da nova versão da lingua portuguesa!

Tchau, pessoal!

(ufff, é tão complicado falar brasileiro...)

 

 


publicado por Jv às 19:12
link do post | favorito
De acordoortografico a 11 de Maio de 2008 às 21:35
O acordo ortográfico é um erro. Os brasileiros ficaram com a língua portuguesa porque nós "descobrimos" e colonizámos o Brasil, juntamente com alemães e holandeses. Porque não adoptaram uma língua germânica? Porque Portugal foi predominante e a língua oficial permaneceu portuguesa. Qualquer língua deve evoluir, dentro de parâmetros lógicos e inteligíveis para os que a sempre falaram e criaram. A língua portuguesa é bonita e transmite expressões ímpares em qualquer outra, tal como a francesa, deriva do latim e do grego, o que lhe confere uma origem nobre em vocabulário, gramática e léxico. É uma língua difícil, é certo, quase parece uma cifra por tantas excepções e verbos irregulares. Todavia é a minha língua e eu não pedi ao Brasil que a adoptasse. Se acham difícil falar português, então esforcem-se por aprender em vez de se regozijarem com a decadência de um país, vítima dos seus próprios acólitos. País que acolhe os brasileiros com estima e carinho, mesmo estes vindo aos magotes para fugir à miséria e falta de trabalho que grassa no seu país. Como podem os brasileiros moralizar questões culturais portuguesas quando eles são os primeiros a ceder e a viver sob o jugo norte-americano? Como pode um sistema económico e político que destrói os seus recursos mais preciosos, como a Amazónia, tecer considerações sobre a conduta política de outro país? Como pode um país que podia ser uma potência mundial, mas está ao nível do terceiro mundo porque não tem força nem vontade política para se organizar e fazer frente aos quatrocentistas que continuam a manipular as mafias político-religiosas e a controlar toda a sociedade brasileira em seu proveito, estar tão enterrado em discórdias, ter um nível de vida tão baixo, uma diferença de classes assustadora e à vista desarmada? É este o modelo que querem exportar para Portugal e para o mundo? é por isso que não conseguem ficar no Brasil e têm de vir para Portugal e para a Europa? Talvez porque se tentarem ir para os Estados Unidos os corram a tiro como fazem com os mexicanos? Não sou contra os brasileiros, mas não suporto que venham para o meu país dizer-me o que posso fazer e como devo falar. Sejam brasileiros, espanhóis, africanos ou russos. Se querem vir para Portugal aprendam a falar português. Adaptem-se. Se eu for para o Brasil viver, terei inevitavelmente de aprender a falar e escrever brasileiro, tal como um inglês que se fixe nos Estados Unidos forçosamente terá de aprender as expressões e o dialecto americano.
Todos os povos têm o direito inato a serem livres. Não queiramos interferir com a liberdade de escolha impondo mudanças que favorecem apenas os interesses de poucos, sendo que estes apenas conhecem a linguagem do capitalismo e da globalização.


De eduardo lacerda a 26 de Junho de 2008 às 18:12
MEU AMIGO!!! PENA QUE NÃO TEVE TEMPO PARA LER O QUE ESCREVEU, POIS REALMENTE TEM MUITA COISA ERRADA PARA UM PORTUGUÊS QUE DIZ QUE SABE ESCREVER CORRE(C)TAMENTE! JÁ QUE O SABE, DEVERIA FAZER! SE TEU PAÍS DISCUTE COM O NOSSO COMO DEVE SER A ORTOGRAFIA DA LÍNGUA, ESCREVA A ELES TUA REVOLTA E NÃO ATAQUE A TODOS NÓS AQUI COMO SE FOSSEMOS CULPADOS! REALMENTE HÁ UMA GRANDE DIFERENÇA ENTRE NOSSOS PAÍSES NO CONTEXTO DESENVOLVIMENTO E APARECEMOS SIM COMO PAÍS DE TERCEIRO MUNDO. MAS, DENTRO DE NOSSO PAÍS, EXISTEM DIFERENÇAS ENTRE REGIÕES, E AS PESSOAS DESSAS, TAMBÉM TENDEM A SE ACHAR MELHORES QUE OUTRAS, ASSIM COMO VC SE SENTE COM RELAÇÃO A NÓS. NÃO SEI SE VC ACREDITA EM DEUS, MAS PERANTE ELE, SOMOS TODOS IGUAIS, E NÃO É TUA GRANDEZA ECONÔMICA OU SE SABES FALAR COM VOCABULÁRIO MAIS CULTO E DE MANEIRA MAIS BELA QUE TE DIFERENCIA DE MIM OU DE QUALQUER OUTRO NO MUNDO. SE FORMOS OLHAR POR REGIÕES COMO DISSE, DENTRO DE UM CONTEXTO ECONÔMICO, PORTUGAL NÃO É NADA DENTRO DA UNIÃO EUROPÉIA, E PELO QUE SEI, É COMO SE FOSSE UM PAÍS DE TERCEIRO MUNDO DENTRO DA MESMA, TAMANHA DISTÂNCIA O SEPARA DE PAÍSES COMO ALEMANHA, ITÁLIA, INGLATERRA E ATÉ ESPANHA, SEU VISINHO. OUTRA COISA QUE LHE DIGO, É QUE VC DEVE PERCEBER EM TI, CARACTERÍSTICAS PARECIDAS COM A DE SEUS PAIS, POIS COMO SABES, ISTO SE PASSA DE GERAÇÃO EM GERAÇÃO. INFELIZMENTE TIVEMOS UM PAI QUE NÃO SOUBE NOS EDUCAR, DEIXANDO PÉSSIMAS LIÇÕES A NÓS E QUE SE PERPETUA ATÉ HOJE EM NOSSA HISTÓRIA, E INFELIZMENTE DISSO EU ACHO QUE SÓ MILAGRE PARA MUDAR NOSSO PAÍS DAS MÃOS DE NOSSOS POLÍTICOS. ATÉ PORQUE, SE PORTUGAL FOSSE TUDO ISTO MESMO, VCS SERIAM A INGLATERRA (PERCEBA A COLONIZAÇÃO NOS EUA) E NÃO PORTUGAL! FIQUE COM DEUS MEU AMIGO, E LEMBRE-SE... "TODOS SOMOS IGUAIS... DIFERENTES EM UMAS COISAS, MELHORES E PIORES EM OUTRAS, MAS IGUAIS! DEVEMOS AJUDAR A CONSTRUIR E NÃO DENEGRIR AO OUTRO!"
Obs.: desculpe algum erro de português, mas é que sou brasileiro, e ai vc já viu, né?!


De jotace a 26 de Junho de 2008 às 20:12
Logo vi que Eduardo Lacerda não podia ser português. Da maneira como escreve... Vocês, brasileiros, têm o direito de falar e modificar a língua portuguesa da maneira que mais vos "der jeito", mas por favor não lhe chamem português. Estou de acordo com algumas das suas afirmações, entre essas a de que Portugal é um país do terceiro mundo, apesar de isso nada ter a ver com o acordo ortográfico. Gostava, no entanto, que respondesse à seguinte pergunta: o que é que o Eduardo Lacerda está a fazer em Portugal? Já na parte final do seu comentário diz que somos todos iguais... eu não sou (nem pouco mais ou menos) igual a si. Mais à frente e para terminar escreve: "DEVEMOS AJUDAR A CONSTRUIR E NÃO DENEGRIR AO OUTRO". Francamente, algumas linhas antes afirma que Portugal é um país do terceiro mundo, mas isto segundo a filosofia popular brasileira não deve ser denegrir, mas sim elogiar. Você por acaso não pertence a alguma seita religiosa? Agora para o "público" em geral. Isto do acordo ortográfico tem muito que se lhe diga. Muito, muito resumidamente quero apenas "dizer" que acho que é uma vergonha nacional. Vou até mais longe ao afirmar que é porco, nojento. Entre muitas outras coisas, estamos (o governo português) a dizer aos brasileiros, angolanos, moçambicanos, etc. etc. o seguinte: meus caros amigos, nós andamos há mais de 500 anos a tentar ensinar-vos a língua portuguesa e vocês ou não conseguíram ou não quiseram aprender. Não se preocupem. Nós vamos passar a falar e a escrever como vocês. Isto não é ficção é pura realidade. Se estiverem atentos aos noticiários, debates, etc. poderão constatar este facto. Para terminar quero apenas chamar a vossa atenção para o facto (e não fato) de os responsáveis portugueses deste (des)acordo terem ignorado que a língua é um dos elementos de identificação nacional dos países. Enfim............


De eduardo lacerda a 27 de Junho de 2008 às 04:10
Querido amigo jotace...
Não quero entrar no mérito da questão ortográfica contigo... O que escrevi anteriormente foi mais uma resposta direta a pessoa que se intitula acordoortográfico, e um pouco aos outros portugueses que escreveram primeiro. Se vc leu o que ele disse e prestou atenção, aquelas palavras tentam manchar a imagem do povo de cá, nos chamando disto e daquilo que não vem ao caso repetir. Apenas quis mostrar para ele que problemas se tem em todo lugar, e que não é pq talvez ele fale um português melhor que a maioria dos brasileiros, que reconheço, tem escolaridade muito baixa, que ele seja melhor ou pior que nós aqui ou que em qualquer outro lugar. E foi pelas palavras dele que disse que todos nós deveríamos ajudar a construir algo melhor e não ficarmos atacando aos outros sem motivos, pois qualquer um no mundo tem o que ensinar, msa também tem o que aprender. Quanto a minha religião sou católico, como muito provavelmente vc deve ser e não pertenço a nenhuma ceita. E é o Deus da minha religião que me ensina ista. Querias sabere o que eu fazia em Portugal... lhe respondo que estava procurando justamente o motivo pelo qual temos a mesma lingua mas falamos de maneira diferente, sem o mesmo sotaque. Como falei para o senhor "acordoortográfico", se o governo de Portugal procura aos outros chefes de estado que falam lingua portuguesa para fazer este tipo de acordo, isto é problema do governo dai, e isto é FATO, ou facto, que seja! Mas que isto mostra que o seu próprio governo não está nem ai para as raízes de seu povo, isto mostra, e parece que vc concorda. No mais meu amigo, apenas volto a lembrar que foi uma coisa meio pessoal contra o acordoortográfico, e não contra teu povo, ou a vc mesmo ou qualquer povo que fale NOSSA lingua que veio do latim, assim como o italiano e o espanhol. Acho teu país muito bonito, de lindíssimas praias ( que o diga a ilha da Madeira) e que com certeza pretendo conhecer... No mais, um grande abraço e a paz pra vc. Fique com Deus! E saiba que respondo realmente na paz, e que não quero confusão contigo. Abraços!


De Jv a 27 de Junho de 2008 às 14:58
Olá a todos! De facto eu sei muito bem o que escrevi e com que propósito o fiz neste post. E ainda sei muito bem os erros que dei, ou melhor, os 'melhoramentos' que dei na minha escrita.

Eu não sou contra o brasileiro, nem contra nenhuma estirpe do Português existente. Sou contra quererem unificar algo que é impossível de unificar: uma identidade.

Eu gosto das letras mudas; Eu gosto dos hífens; Eu gosto de escrever os dias, meses com letra maiúscula; Gosto de escrever Portugu~es, embora ele tenha evoluído e desenvolvido ao longo dos tempos (naturalmente).

Agora, quem não aguenta uma piada, sobre um assunto sério e sobre uma matéria que não tem 'pés nem cabeça', como poderá aguentar uma crítica um pouco mais severa?

Escreverei sempre da mesma forma. Porque é a minha identidade. A bandeira, a escrita e a oralidade (que é única no mundo) e a postura do Português, são a nossa identidade.

E não há a língua brasileira. Há o Português-Brasileiro (E vivam os Hífens).

Abraço a todos!


De animum a 3 de Julho de 2008 às 03:18
O tema deste meu novo devaneio é o “fresco” acordo ortográfico e sobre ele vou expor o que me vai na alma, doa a quem doer e rebaixando quem quer que se sinta rebaixado, pois neste campo só um facto deve prevalecer, a língua Portuguesa.
Não se iludam os defensores do facilitismo nem mesmo se enganem os que apoiam o evolucionismo, este acordo serve apenas e só as grandes editoras e produtoras que procuram única e simplesmente obter lucros com as vendas, quer em solo pátrio, quer nos outros territórios lusófonos. Já agora, quem acham que lucrará com todas as traduções e produções futuras, independentemente de serem livros, televisão ou cinema, já para não falar de qualquer tipo de manuais?
Bem, quanto a isso basta olhar para a oferta no solo “irmão” e será fácil de prever que o desemprego nestas áreas irá aumentar em muitos pontos percentuais neste nosso “endinheirado” país.
No que diz respeito ao facilitismo, esta é apenas uma desculpa, para os que não vêem, ou será vêm… não importa pois pode-se sempre simplificar com um novo acordo e assim deixar de errar. Mas e o que foi que viram, ou não?
Viram que mais vale mudar uma ortografia, que educar “analfabetos” a entende-la, pois para quem tem a capacidade de o entender pode facilmente reaprender.
Dirijo-me agora para os adeptos da evolução cujo argumento se baseia em parte no facilitismo acima descrito, mas também no estudo do passado pois de pharmácia passámos a farmácia e por esta ordem de ideias acabaremos todos a emitir os grunhos necessários para o dia-a-dia.
Os teóricos da evolução dizem que o ser humano continua na sua metamorfose evolucional e que num futuro próximo deixaremos de ter o dedo mindinho, as orelhas, os pelos e mesmo o nariz. Obviamente que ninguém no seu perfeito juízo dirá que estas serão evoluções que irão beneficiar a nossa aparência, mas infelizmente, estas não estão dependentes da nossa consciência, ignorância ou mesmo ganância.
Chega assim o momento de colocar na mesa os meus próprios motivos, as razões que me levam a repudiar por completo este (des)acordo ortográfico.
Começo por perguntar qual é a fronteira que separa a evolução útil e saudável, da evolução inútil e destrutiva?
Bem, a separação do átomo foi uma grande evolução da ciência, mas terá sido uma evolução saudável?
Acredito que os japoneses não tenham essa opinião.
Tal como a bomba foi para a civilização, esta “evolução”, nada mais é que o começo do retrocesso para o intelecto e sabe Deus onde acabará…
Um segundo motivo é a cultura de que todos nos devíamos orgulhar, pois apesar de sempre termos tido até aos dias de hoje péssimos regentes a comandar os destinos deste país, isto sim é triste e é o nosso fado, nunca faltou a este povo uma alma e um coração nobre, transpondo magnificamente as barreiras do espaço e do tempo através do seu mais valioso tesouro: a língua portuguesa. É este detalhe que faz de nós o centro de um império inexistente fisicamente, mas real culturalmente em quatro dos cinco continentes.
É preciso tomar consciência que este acordo acaba por castrar tão imponente vontade destes poucos que muito fizeram pelo mundo, tornando este país, outrora colonizador, num país que progressivamente está a ser colonizado por um sem fim de energúmenos que tudo devem a esta “pequena” nação e que agora tentam ditar as regras de um jogo que nunca tiveram sequer a competência de perceber.
É dito constantemente que a escrita evolui consoante a oralidade e que esta deve sempre primar sobre a escrita; ora se nos dias que hoje correm cada vez se fala pior, isto implica, e aqui entra o acordo, que se venha a escrever de igual modo.
Recuso-me a aceitar uma lógica imbecil como esta.
Recuso-me a aceitar que venham brasileiros, angolanos, cabo-verdianos entre outros, dizer-me a mim, ou melhor a nós povo português, que os presenteámos com a graça da nossa língua, como a devemos escrever.
O português não precisa de erros ortográficos para se afirmar como língua perante o mundo, este é um pensamento próprio de derrotistas submissos que tremem como escroques cobardes perante um qualquer Ipiranga quando aos seus pés jazem sete mares e um domado Adamastor…


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Setembro 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


O Grande silêncio...

rbobson@sapo.pt

Tags Silenciosas...

todas as tags

Silêncios arquivados

Pesquisa neste silêncio

 

links Silenciosos

subscrever feeds