Sexta-feira, 21 de Agosto de 2009

O Silêncio

Este poema, eternizado por Maria Guinot, nos Festivais da Canção RTP e da Eurovisão em 1984, traduz muito bem o que eu pretendo com este blog.


Pretendo que este blog possa ter o efeito em si, que este poema e a sua música, costumam ter em mim. Qual o efeito? Isso, é especial e depende de cada um...


O SILÊNCIO E TANTA GENTE


Às vezes é no meio do silêncio
Que descubro o amor em teu olhar
É uma pedra
É um grito
Que nasce em qualquer lugar


Às vezes é no meio de tanta gente
Que descubro afinal p'ra onde vou
E esta pedra
E este grito
São a história d'aquilo que eu sou


Às vezes sou o tempo que tarda em passar
E aquilo em que ninguém quer acreditar

Às vezes sou também
Um sim alegre
Ou um triste não

E troco a minha vida por um dia de ilusão
E troco a minha vida por um dia de ilusão


Às vezes é no meio do silêncio
Que descubro as palavras por dizer
É uma pedra
Ou é um grito
De um amor por acontecer


Às vezes é no meio de tanta gente
Que descubro afinal p'ra onde vou
E esta pedra
E este grito
São a história d'aquilo que sou


 

Silêncio da Música: O Silêncio e tanta gente (Maria Guinot)

publicado por Jv às 16:40
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
 O que é? |

Setembro 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


O Grande silêncio...

rbobson@sapo.pt

Tags Silenciosas...

todas as tags

Falou e disse...

Silêncios arquivados

Visitantes Silenciados...

Pesquisa neste silêncio

 

links Silenciosos

subscrever feeds